Início Notícias Exclusivo Vice do Flamengo, Maurício Gomes relata drama com o coronavírus: "Meu...

Exclusivo Vice do Flamengo, Maurício Gomes relata drama com o coronavírus: "Meu principal medo era infectar os outros" – Flamengo

19
0

Por: Isabelle Costa

O Ministério da Saúde confirmou mais de 1500 casos e 25 mortes no Brasil devido ao novo coronavírus. Segundo estudos publicados pelo governo, o pico de contágio da doença ocorrerá no início de abril, e a recomendação é que as pessoas fiquem em casa para evitar a disseminação maciça do Covid-19.

Um dos primeiros casos confirmados em Brasília, o vice-presidente de Embaixadas e Consulados do Flamengo, Maurício Gomes de Mattos, falou com o relatório de Fla da coluna, revelando todo o processo desde o diagnóstico até o dia em que recebeu alta, na última sexta-feira (20). Em uma entrevista, Mauricio falou sobre a angústia que sentiu ao saber que poderia ter infectado outra pessoa e também descreveu os sintomas que sentiu.

Assista à entrevista completa:

Quando você começou a sentir os sintomas?

Cheguei de Madri e, pouco depois de chegar, já estava com um resfriado normal, gripe, um pouco doente. Fui a um hospital e comecei a tossir, mas minha respiração estava ótima, ótima. Mas o hospital pediu um teste de coronavírus. À noite, comecei a me sentir mal e minha condição piorou.

Antes de receber um diagnóstico positivo de Covid-19, você se lembra de ter contato com pessoas que tinham tosse, resfriado ou sintomas semelhantes?

Antes de ser diagnosticada com a doença, eu não tinha contato com pessoas que apresentavam sintomas. É uma doença que você pode pegar no trem. Nos lugares que eu fui, não vi muito. Pessoas muito bem. Visitei o Real Madrid e Barcelona, ​​tive vários contatos. Mas a forma de contágio não faz muita diferença, o importante é saber como evitá-lo.

É uma doença perigosa. No meu caso, por exemplo, em 48 horas tudo mudou. Se ele não tivesse acompanhamento médico, já tinha 58 anos, teria uma situação complicada. Respeite a quarentena, fique em casa. Não vá a um bar, restaurante, praia, porque é aí que está o problema. Um fica contaminado e passa para os outros. Precisamos pensar nos outros e entender a seriedade dessa pandemia.

Qual foi o seu principal medo depois de ser encontrado com o coronavírus?

Quando descobri que estava infectado, meu principal medo era infectar outras pessoas. Eu tinha medo de passar isso para alguém do Flamengo, mas não apenas do clube, para qualquer outro ser humano. Eu tinha vergonha de ser o transmissor de algo assim. Isso deixa um peso. Precisamos ter responsabilidade, é um exercício de amor, preservando mais pessoas.

Durante a internação, você recebeu mais informações sobre o tratamento?

O tratamento seria em casa, não no hospital. Eu fui ao hospital por pneumonia.

Depois de uma semana, fiquei aliviada por ter deixado o hospital. Você pode definir esse sentimento?

O sentimento de ser demitido é de liberdade, mas também de responsabilidade. Quero dizer o que estou passando com as embaixadas. Vou enviar uma circular para entrar em um processo de conscientização pela web, Whatsapp e outras redes sociais. Este será o trabalho das embaixadas e consulados, fiz este pedido especial.

Depois de deixar o hospital, quais são as recomendações que você deve seguir?

Não recebi nenhuma orientação específica depois de deixar o hospital, mas devo colocar em quarentena e seguir as outras instruções que foram passadas a todos.

E agora: que mensagem você envia para a Nação, que tem enviado apoio nos últimos dias, em meio ao momento delicado?

Fico animado em falar sobre isso. Recebi várias mensagens no Whatsapp, veículos, redes sociais … Era inimaginável. Temos que valorizar nossas vidas. Minha aparência e responsabilidade pelo bem social aumentaram. O ser humano de hoje tem que olhar para o próximo. Nesses momentos, vemos como somos frágeis.


Recomendações da Organização Mundial da Saúde:

Com mais de 323.000 casos confirmados e mais de 13.000 mortes em todo o mundo, a Organização Mundial da Saúde emitiu algumas recomendações à população mundial para impedir a propagação do vírus:

  • Lave as mãos com água e sabão com frequência, especialmente depois de tossir, espirrar, usar o banheiro ou usar o transporte público e em locais com muita gente.
  • Tenha uma garrafa de álcool e gel à mão para limpar sempre que possível
  • Cubra o rosto com o braço ou lenço quando espirrar e tossir.
  • Evite locais públicos com grandes multidões.
  • Se possível, adie viajar para o exterior, especialmente para lugares que são o foco da doença, como Ásia e Europa
  • Não esfregue as mãos sobre os olhos, boca e nariz.

Aproveite a boa fase do Flamengo para aproveitar!

Vale lembrar que os sintomas que se manifestam nas pessoas infectadas pelo coronavírus são: febre superior a 38 graus, coriza, espirros, tosse, dores no corpo e dificuldades respiratórias. Apesar do alto nível de contágio, a taxa de mortalidade do Covid-19 é de apenas 3,4%, aumentando o número com base na idade e nas complicações de saúde. As pessoas com maior risco de contrair a doença são os idosos, pessoas com doenças respiratórias, cardíacas, imunológicas e diabéticas.

Clique aqui noticia Oficial